.

.
.

.

.

.

.

Estádio fantasma levou 60 mil tijolos

Nas notas frias, digo fiscais, deixadas pelo capacho Joaquim Nunes, ex-prefeito do município de Prainha, figura como concluída uma das mais belas obras do futebol paraense: a construção de um estádio de futebol.

A obra possui traços arquitetônicos modernos, esculpidos em seus mais de 60 mil tijolos e pra lá de centenas de sacas de cimento. Poderia inclusive receber um dos jogos da Copa do Mundo de 2014.

Um orgulho para a população sofrida do castigado município da Calha Norte, se não fosse um detalhe: a obra só existe no papel. Prainha só possui um campo de futebol sem arquibancadas e muito menos gramado.

Só resta saber agora aonde foi parar esse dinheiro. Essa é uma das missões do novo prefeito, Sérgio Pingarilho.

Comentários