.

.
.

Justiça manda soltar Taradão

Da Folha Online:

O TRF-1 (Tribunal Regional Federal) da 1ª Região concedeu habeas corpus nesta segunda-feira ao fazendeiro Regivaldo Pereira Galvão, o Taradão, suspeito de ser um dos mandantes do assassinato da missionária norte-americana naturalizada brasileira Dorothy Stang.

Galvão está preso preventivamente em Altamira (PA) desde dezembro do ano passado suspeito de grilagem de terras.

Segundo a denúncia do Ministério Público Federal, o fazendeiro tentou negociar o lote 55, em Anapu (PA), na região da Transamazônica, --o mesmo lote cuja disputa culminou na morte da missionária.

A decisão é da Terceira Turma do TRF-1, que por dois votos a um favoráveis acatou um recurso apresentado pela defesa do fazendeiro.

Segundo a assessoria do TRF-1, os juízes acataram o argumento da defesa de que houve excesso de prazo para a conclusão do inquérito policial. A previsão é que o inquérito da Polícia Federal demore mais 60 dias para ficar pronto.

Apesar da decisão favorável, o fazendeiro só será solto se não estiver preso por outro motivo.

Julgamento

Na semana passada, o presidente do Tribunal de Justiça do Pará, Rômulo Nunes, disse que o júri Galvão deve acontecer até o final de junho.

O fazendeiro ainda não foi a júri porque seus advogados conseguiram, com recursos, protelar o caso --mas, no último dia 6, o STF (Supremo Tribunal Federal), negou o pedido para excluí-lo da acusação de mando do crime.

Dorothy Stang foi assassinada a tiros em uma estrada vicinal de Anapu em 2005.

Comentários

.

.