.

.
.

Alcoa inicia operação em Juruti

“Essa mina é uma conquista do Estado e de todo o Brasil. A operação não é o fim, mas apenas o começo de um projeto que esperamos que dure décadas”. Com essas palavras o presidente da Alcoa América Latina e Caribe, Franklin L. Feder (foto), iniciou seu discurso na coletiva de imprensa realizada na manhã desta segunda-feira (14) em Santarém, no Oeste do Pará.

Também participaram da coletiva o vice-presidente de Produtos Primários da Alcoa América Latina e Caribe, Nilson Souza; e o gerente geral de Implantação da Mina de Juruti, Tiniti Matsumoto. Durante a entrevista foram apresentados à imprensa os detalhes do projeto da Mina de Bauxita de Juruti, que entra em operação amanhã (15).


Com investimento de cerca de R$3 bilhões, o projeto começa a operar com capacidade de produção anual de 2,6 milhões de toneladas de bauxita, minério que dá origem ao alumínio.


“Eu resumo esse projeto em três palavras: integrador, inovador e responsável. Nós trabalhamos interagindo com a comunidade, inovamos na forma de integração com a sociedade e temos um compromisso de responsabilidade ambiental”, avalia Feder.

Ao apresentar o funcionamento da Mina à imprensa, o gerente geral de Implantação da Mina de Juruti, Tiniti Matsumoto, lembrou que todo o trabalho da empresa é baseado no modelo de mineração sustentável.

A cerimônia de inauguração das instalações da mina de bauxita será nesta terça (15) a partir das 10 horas no município. O evento contará com a presença do ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, representando o presidente Luiz Inácio Lula da Silva; da governadora do Estado, Ana Júlia Carepa; do prefeito de Juruti, Henrique Gomes; e outras autoridades federais, estaduais e municipais.
Texto: Temple Comunicação

Comentários

Anônimo disse…
Impressionante como as Mineradoras na Amazônia não dizem ou omitem a verdade. A ALCOA realizou Audiências Públicas e na documetação apresentada EIA/RIMA falava-se em 15 anos - Agora já se fala em 70 anos.
Falava-se que tudo ia ser adquirido na Região -Mão de Obra e generos alimeticios. Mas, O Pagamento é efetuado através do BRADESCO que nem agência têm. Compra-se Combustivel da TEXACo que nem é brasileira.

.

.