.

.
.

Morre o jornalista santareno Raimundo Pinto

Morreu na noite desta última quinta-feira, 3, em Belém, o jornalista Raimundo José de Faria Pinto, o Raimundo Pinto, que há quatro anos lutava contra um câncer que se iniciou na bexiga. Ele estava internado há mais de mês no Hospital da Beneficência Portuguesa.
Raimundo Pinto, um dos mais respeitados jornalistas paraenses, iniciou-se na profissão em 1971, aos 20 anos, na redação do jornal A Província do Pará, onde permaneceu por 18 anos.

Foi correspondente do jornal O Estado de São Paulo, onde junto com seu irmão, Lúcio Flávio Pinto, fundou a primeira sucursal regional do veículo, que cobria não só o Pará como toda a Amazônia. Permaneceu na função durante 17 anos. Ganhou o Prêmio Esso em 1976 e menção honrosa do prêmio pela série de reportagem "Amazônia, a ocupação ilegal".

Também foi correspondente do jornal A Tarde e revista Visão. Atuou como repórter de O Liberal, em 1976 e repórter e editor do extinto O Estado do Pará, de 1977 a 1980.

Presidiu o Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Estado do Pará em 1982 e foi vice-presidente na chapa subseqüente. Por 10 anos dirigiu O Jornalista, órgão de divulgação da entidade.

Assumiu a sucursal da Gazeta Mercantil em Belém, ocasião em que comandou uma equipe que cobria com ênfase a pauta econômica do Pará, Amapá e Tocantins.

Atuou ainda como assessor de imprensa da Embrapa Amazônia Oriental e do governo do Pará em dois períodos, de 1995 a 1996 e 2003 a 2004. Fundou seu próprio site, Para Negócios, que cobria sobretudos temas ligados à economia, política e meio ambiente.

É autor do livro "Repórter", editado em 1995, e co-autor dos livros: Panará - a volta dos índios gigantes, de 1997, editado pelo Instituto Socioambiental; e O Novo Brasil, editado em 2002 pela Editora Nobel.

Raimundo Pinto deixa viúva a jornalista Sílvia Faria e três filhos.
Fonte: Agência Pará
Foto: Blog do Jeso

Comentários

.

.