.

.
.

.

.

.

.

PAs 370 e 258: Helenilson Pontes quer rodovias

A distância entre Santarém e Belém seria encurtada em quase 500 km.
No blog do Piteira:

Fonte palaciana garantiu, na manhã de hoje, ser grande o empenho do vice Helenilson Pontes junto ao governador Simão Jatene para a concretização de dois projetos de integração rodoviária do Oeste do Pará com a região metropolitana de Belém (RMB): primeiro, a construção da segunda etapa da rodovia PA-370, entre Curuá-Una, em Santarém, e a BR-230 (Transamazônica), no município de Uruará; segundo, a construção da PA-258, que ligaria o rio Xingu, no município de Anapu, à cidade de Baião, na margem direita do rio Tocantins, onde faria conexão com a PA-151 e, de lá, para Belém.

Como se sabe, as duas rodovias são essenciais ao clamor de integração do Oeste ao resto do Pará, mas principalmente à Capital, um dos itens muito reclamados durante a campanha do plebiscito pela criação do Estado do Tapajós, em dezembro passado. Elas encurtariam a distância entre Santarém e Belém em quase 500 km.

As duas propostas foram apresentadas pela deputada Josefina Carmo (PMDB), no ano passado, em Santarém, durante audiência pública para a coleta de sugestões para a elaboração do atual Plano Plurianual do Pará (PPA-2012/2015). Dada a importância das duas rodovias, Josefina ratificou as propostas através de dois projetos de lei apresentados à Assembleia Legislativa do Pará, também no ano passado.

No mapa rodoviário do Estado, as duas estradas não passam de linhas traçadas, projetos a serem executados. Na prática, a segunda etapa da PA-370 já virou uma vicinal aberta, de forma irregular e sem critérios de engenharia, por prefeitos e madeireiros da região compreendida entre a Transamazônica e a margem direita do rio Amazonas. Já a PA-258 continua simples riscado no mapa.

Críticos afirmam que Helenilson passou a defender os dois projetos como parte do esforço para se recompor politicamente diante da população do Oeste, depois da omissão clamorosa do vice na campanha do plebiscito pela criação do Tapajós.

Leia Mais Aqui.

Comentários