.

.
.

.

.

.

.

Investigador é condenado por tentar matar PM


Com o plenário repleto de policiais civis e militares, os sete jurados da 10ª Vara Penal acataram a tese do promotor público Evandro Ribeiro e decidiram pela condenação do réu ARTHUR VINÍCIUS SANTOS SOUZA, 46 anos. O Investigador da Polícia Civil foi acusado de balear o soldado da PM Emanoel Soares Sousa, 29 anos, fato ocorrido no dia 27/02/2004, em frente ao antigo bar Bodegão da Praia, na avenida Cuiabá.
 
Consta nos autos que os dois policiais bebiam no bar com vários conhecidos, e que em dado momento houve uma discussão entre ambos, resultando num início de briga. 
 
O réu alegou que o PM ofendeu sua instituição e a ele próprio, dizendo que na Polícia Civil só havia corruptos. O PM em seu depoimento disse que foi o investigador que o agrediu sem qualquer motivo. 
 
Arthur usou um revolver de sua propriedade, sem registro que diz ter comprado de um agente de polícia do garimpo Com esta arma baleou o PM no rosto, tendo a bala atravessado uma bochecha e se alojado abaixo do olho e fugiu em seguida. O PM foi levado ao hospital e a bala foi retirada, tendo este sobrevivido, enquanto Arthur foi preso por colegas do militar. Arthur alegou que foi espancado no caminho pra delegacia.
 
A defesa do réu, tendo à frente os advogados Luis Alberto Mota e Felipe Martiniano Almeida, alegou que o crime ocorreu por causa da animosidade que havia entre as polícias e apresentou três teses: Legítima Defesa, Desclassificação para Lesão Corporal e Tentativa de Homicídio Privilegiado, mas todas foram rechaçadas pelo Conselho de Sentença.
 
O juiz Gérson Marra Gomes aplicou a pena de 03 anos, 11 meses e 08 dias, em regime aberto, podendo recorrer em liberdade.
 
Ao final da sessão, o juiz ressaltou a importância de haver harmonia e sintonia entre as polícias, para que o cidadão se sinta mais seguro. E ao final registrou pesar pela morte do ex-governador Almir Gabriel, informando que o TJE facultou o ponto em respeito a seu falecimento, e anunciou que o Tribunal do Júri volta a se reunir na quinta-feira, 21/02, quando será julgado Tarcísio Azevedo de Sousa, acusado de tentar matar Rosineide Freitas Sousa, fato ocorrido em 2010.
 
 
Jota Ninos/TJPA

Comentários