.

.
.

.

.

.

.

Começa nesta segunda-feira mais uma campanha de vacinação contra gripe

Será realizada de 15 a 26 de abril, em todo o Brasil, mais uma Campanha Nacional de Vacinação contra a Influenza (gripe), com a meta de imunizar 1 milhão e 200 mil pessoas só no Pará. O objetivo é reduzir a mortalidade, as complicações e as internações decorrentes das infecções pelo vírus Influenza, informou o secretário de Estado de Saúde Pública, Helio Franco, nesta sexta-feira (12).
Ele explicou detalhes da campanha acompanhado da diretora do Departamento de Epidemiologia da Sespa, Ana Lúcia Ferreira; pela coordenadora estadual de Imunização, Jaíra Ataíde, e pela coordenadora de Imunização da Secretaria Municipal de Belém, Nazaré Athayde. A novidade da próxima campanha é que, além de idosos com mais de 60 anos, crianças de seis meses a menores de dois anos de idade, gestantes, trabalhadores da área de Saúde e indígenas, serão vacinadas as mulheres puérperas (período até 45 dias após o parto) e pessoas com doenças crônicas.
Helio Franco reiterou que a vacinação é fundamental para prevenir a doença e evitar complicações pela gripe, principalmente em idosos, crianças e gestantes. Ele lembrou que quando surgiu o vírus H1N1, em 2009, houve muitos óbitos de mulheres gestantes, em função da baixa imunidade durante a gravidez.
A vacina protege contra três tipos de vírus: Influenza A (H1N1), Influenza A (H3N2) e o Influenza B. Segundo o secretário, este ano já houve 35 notificações de Influenza, com nove resultados positivos, sendo dois de H1N1 e sete de outros vírus sazonais. Também foram confirmados dois óbitos, um por H1N1 e outro por H3N2.
Atualmente, só são notificados os casos que apresentam Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG), cujos sintomas são febre, tosse, falta de ar, hemoptise (expectoração com sangue) e dor torácica. Nesses pacientes são feitas coletas de amostra de secreção das narinas para pesquisa de vírus respiratório.
O secretário assegurou que não há possibilidade de a pessoa ficar gripada com a vacina, pois o vírus é inativado. Por isso, é importante que a população escolhida como alvo da campanha compareça aos postos de vacinação a partir desta segunda-feira.
Doenças crônicas - A coordenadora Jaíra Ataíde esclareceu que devem ser vacinadas pessoas com doenças crônicas respiratórias, cardíacas, renais, hepáticas, neurológicas, diabetes, imunodepressão, obesidade grau III, e também as transplantadas.
Ela informou que, para a realização da campanha, o Estado conta com mais de 1 milhão de doses de vacina e 3.730 postos de vacinação, sendo 2.378 fixos, 1.309 volantes e 43 fluviais. Para o transporte serão utilizados 822 carros, 31 barcos, 25 voadeiras, 18 motocicletas, e até cavalos e búfalos.
Segundo a coordenadora de Imunização de Belém, Nazaré Athayde, a meta na capital é vacinar 332.104 pessoas, sendo 32.960 crianças de seis meses a menores de dois anos de idade, 16.480 gestantes, 2.709 puérperas, 131.517 idosos, 11.638 trabalhadores da área de Saúde e 39.279 pessoas com doenças crônicas.
Serviço: Mais informações na Coordenação Estadual de Imunização, pelo telefone (91) 4006-4311, e na Coordenação Municipal de Imunização, telefone (91) 3344-2459/2556.

Comentários