Pular para o conteúdo principal

.

.
.

.

.

.

.

Vereadores debatem polêmica dos guinchos em Santarém

A reunião convocada pelo vereador Paulo Gasolina contou com a presença dos donos de empresas que prestam serviço de remoção de veículos; os conhecidos guinchos, Capitã. Marnilza do Policiamento de Trânsito, DETRAN,  vereadores Dayan Serique, Silvio Amorim, Reginaldo Campos e o presidente da comissão de transportes o vereador Ney Santana. O principal objetivo para convocação dos envolvidos está relacionado às inúmeras denuncias por parte de condutores insatisfeitos com a prestação do serviço, durante a Blitz realizada frequentemente pelos órgãos de fiscalização de trânsito

A principal reclamação e que algumas empresas são favorecidas com a prestação do serviço, deixando os condutores sem opção de escolha na hora de autorizar o recolhimento de seus veículos para o encaminhamento ao quartel. Atualmente a frota de carros e motos cresceu em nossa cidade, com este crescimento o sistema para remoção também ganhou mercado, surgindo a concorrência entre eles para ofertar melhores condições ao cliente incluindo os preços mais baixos o que ocasionou divergências entre condutores e empresários. Durante a reunião o PTRAN esclareceu que a partir do momento em que o condutor é abordado em uma fiscalização, e é comprovado que seu veiculo está irregular, naquele momento o veiculo torna-se responsabilidade do estado por tanto se as empresas estão cadastradas e regularizadas no padrão exigido, não tem motivos para que o condutor necessite chamar outra empresa para o transporte. A Cap. Marnilza explica que o valor determinado para cobrança do serviço é de R$ 107,00 reais até 20 km transportados e que os empresários de nossa cidade estão utilizando o bom censo ao fixar o valor mínimo para conduzir até o quartel, quando cobram R$80,00 reais. 

Para organizar a situação e esclarecer de fato o procedimento do serviço, ficou estabelecido que os empresários devem  fornecer ao PTRAN toda a documentação que comprova a regularização dos veículos utilizados como guincho, onde esta documentação ainda vai ser  analisada. 
 
Depois deste processo uma nova reunião será marcada para aprovar o sistema de rodizio entre as empresas, para que durante os atendimentos os condutores observem as opções fornecidas. Ainda deve ser estabelecido um valor padrão para o guincho de forma coerente, acessível e que não prejudique a população nem os donos das empresas.
Se a proposta de rodizio entre as empresas for aprovada algumas regras devem ser firmadas como exemplo a empresa escalada para o dia da fiscalização não estiver disponível para o serviço, esta pode ser penalizada. A reunião encerrou com a garantia de que o caso deve prosseguir, enquanto isso câmara de vereadores aguarda nova data para reunião, onde serão decididas as novas formas de atuação das empresas. Neste período os parlamentares solicitaram que as empresas encaminhem a planilha de custos para que os vereadores analisem as demandas.

Fonte: Ascom/CMS 

Comentários