.

.
.

Conselho Tutelar descarta tráfico humano no Maracanã

 
A viagem repentina de duas irmãs, sendo uma de 18 anos e uma de 12 anos, além de uma criança (menino) de apenas dois anos de idade para São Paulo, na tarde do último dia 3, foi finalmente esclarecida pelo Conselho Tutelar II, que funciona no bairro do Santarenzinho. As adolescentes e a criança não foram vítimas de tráfico humano como suspeitavam alguns familiares.
Na manhã desta segunda-feira, 12, o conselheiro tutelar Rogério Batista, entrou em contato via telefone com o Conselho Tutelar de Sorocaba, município do interior de São Paulo, que conseguiu localizar as adolescentes e a criança com informações repassadas pela mãe delas, que estava sendo investigada.

Ao Conselho Tutelar de Sorocaba, a jovem de 18 anos afirmou que foi para São Paulo por livre e espontânea vontade para viver com um paulista e que levou o filho e a irmã menor de 12 anos junto, na expectativa de lhes oferecer uma vida melhor, já que a família vive com dificuldades em Santarém. A mãe das adolescentes é doméstica e o pai pescador. 

Na semana passada, o Conselho Tutelar II recebeu a denúncia de que a doméstica que não teve o nome revelado, teria vendido as duas filhas e o neto para empresário de São Paulo. Familiares temiam que as meninas pudessem estar sendo exploradas sexualmente e a criança fosse vendida para algum casal que não pode ter filhos. 

A doméstica esteve no Conselho Tutelar II, prestou esclarecimentos sobre a viagem das filhas e do neto e a confirmação das informações veio pouco tempo depois com a localização dos três pelo Conselho Tutelar de Sorocaba, pondo fim as suspeitas de tráfico humano.

Comentários

.

.