.

.
.

Leilão de madeira da Flona Tapajós será lançado nesta sexta-feira, 27

Em O Estado do Tapajós:

O Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), por meio da Floresta Nacional (Flona) do Tapajós, em Belterra, oeste do Pará, lançou edital para a comercialização de madeira. O leilão por melhor preço tem data de abertura marcada para a sexta-feira (27), ofertando 15.969,646 m³, reunidos em dois lotes, sendo a quantidade estimada do lote I em 8.366,218 m³, e do lote II em 7.603,428 m³.

Poderão participar deste leilão somente empresas, associações de comunidades locais, Organizações de Sociedade Civil de Interesse Público (OSCIPS) e cooperativas constituídas sob as leis brasileiras, que tenham sede e administração no país e que atendam todas as exigências, principalmente quanto à documentação constante no edital.

Não poderão participar do processo as empresas que estejam cumprindo a penalidade de suspensão temporária imposta pela Administração Federal ou Estadual e ainda penalidades impostas por qualquer órgão da Administração Pública, motivada pelo artigo 10 da Lei Nº 9.605, de 12 de fevereiro de 1998 e suas alterações; sejam declaradas inidôneas em qualquer esfera de governo; estejam sob falência, dissolução ou liquidação; estejam em situação irregular perante as Fazendas: União, Federal, Estadual, INSS e FGTS.

Para participar do leilão, o interessado precisa estar previamente credenciado para a compra. Só assim será permitida a participação na fase de lances. Para ter acesso à íntegra do edital, clique aqui.

Flona do Tapajós

A Floresta Nacional do Tapajós é uma importante unidade de conservação federal localizada na Amazônia, mais precisamente às margens do Rio Tapajós, no estado do Pará. É a unidade de conservação federal que mais abriga pesquisa científica no Bioma Amazônia.

Com aproximadamente 527.000 hectares – mais de 160 quilômetros de praias – a floresta nacional apresenta grande diversidade de paisagens: rios, lagos, alagados, terra firme, morros, planaltos, floresta, campos e açaizais.

Comentários

.

.