.

.
.

.

.

.

.

Pará gera 42 mil novos postos de trabalho ao ano

Da Agência Pará:

O Pará obteve, nos últimos três anos, um saldo positivo de 126.890 postos de trabalho com carteira assinada – uma média de 42 mil novos postos por ano, segundo balanço divulgado nesta segunda-feira, 27, pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese/PA). Somente em 2013 foram feitas 395.941 admissões contra 366.325 desligamentos, gerando um saldo positivo de 29.616 postos de trabalho, com um crescimento de 3,98%. Naquele ano, mesmo com uma perda significativa de postos (cerca de sete mil), o desempenho do Estado do Pará foi o quarto melhor desde a crise econômica mundial de 2008, aponta o estudo.


Ainda naquele ano, a maioria dos setores econômicos apresentou crescimento, com exceção do setor da Indústria de Transformação, que apresentou um decréscimo de 0,06%. Entre os setores que apresentaram crescimento os destaques foram: a Construção Civil, com crescimento de 18,55%; seguido do setor de Serviços Industriais de Utilidade Pública, com crescimento de 6,91%; do Comércio, que apresentou um crescimento de 2,82%; do setor Serviço, com crescimento de 1,88% e do setor da Agropecuária, com crescimento de 1,12%.

Ainda de acordo com o balanço, que tem base em informações oficiais do Ministério do Trabalho, através do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) e leva em consideração a nova metodologia adotada pelo ministério, incluindo registros entregues com atrasos e/ou acertos, em 2012, o saldo também foi positivo. Entre os meses de janeiro e dezembro daquele ano foram feitas 383.328 admissões, contra 342.271 desligamentos, gerando um saldo positivo de 41.057 mil postos de trabalho. Em 2011, o desempenho foi ainda superior ao alcançado pelo Estado no ano anterior, resultando em um saldo positivo de 56.217 novos postos de trabalho com carreira assinada. Foram 376.100 admissões contra 319.883 desligamentos.


De acordo com o estudo, a redução de postos ao longo dos anos ocorre, sobretudo, devido aos impactos da crise econômica, que trouxeram consequências negativas na geração de empregos, não só no Pará, mas em todo o Brasil. “É possível observar também que no comparativo dos saldos (relação entre admitidos e desligados) o resultado de 2013 (janeiro a dezembro) foi o menor dos últimos três anos (2011-2013). Entretanto, se analisarmos pelo anglo das admissões, as contratações efetuadas em todo o Estado, em 2013 (quase 400 mil admissões) foram as maiores da história”, ressalta o estudo.

Segundo o titular da Secretaria de Estado de Trabalho, Emprego e Renda (Seter), Rodivan Nogueira, este ano, os cursos de qualificação serão intensificados, tanto na capital, quanto nos municípios do interior do Estado. Para o secretário, eles têm papel fundamental para garantir o bom desempenho do Pará. Para este ano, a expectativa é qualificar de 15 a 20 mil pessoas. “Nosso foco será, não somente no setor da Construção Civil, mas também no setor da Mineração, onde a demanda é cada vez maior, devido aos grandes projetos que estão se instalando no Pará”, informou.

Outro foco de atuação da secretaria será no setor do Comércio. “Ao final de cada ano, o crescimento desse setor é significativo também, com pudemos observar no balanço dos últimos três anos. Junto com a Construção Civil e o setor relativo à Mineração, o Comércio tem tido um papel importante para que o Estado alcance destaque, não só a nível regional, mas nacional também. E a Seter está atenta a esse processo, a fim de que essas pessoas possam ser qualificadas e possam, cada vez mais, aproveitar esses postos de trabalho que surgem ao final de cada ano no setor”, afirma.


Da Redação
Agência Pará de Notícias
Amanda Egelke
Atualizado em 27/01/2014 às 12:14

Comentários