.

.
.

Puty é pré-candidato do PT ao governo do Estado

Puty no páreo: militância não engole PMDB.
Em O Liberal:
 
Uma frente reunindo tendências do Partido dos Trabalhadores (PT) no Pará definiu ontem à noite, em reunião na sede da Associação Paraense das Pessoas com Deficiência (APPD), o nome do deputado federal Cláudio Puty como pré-candidato a governador do Estado, em oposição à proposta de coligação do partido com o PMDB nas eleições majoritárias deste ano. O nome de Cláudio Puty será protocolado no PT do Pará na semana que vem, como uma opção a ser debatida no Congresso estadual do partido, no final de março. Uma série de ações está sendo programada pela frente, para defender a candidatura própria junto aos militantes do partido em Belém e em municípios do interior do Estado. Durante a reunião, houve pronunciamentos enfatizando que a coligação com o PMDB acabou prejudicando muito o governo Ana Júlia.

A ex-deputada estadual Regina Barata destacou que cresce a adesão de integrantes do partido à proposta de candidatura própria. Ela assinalou que reunião anterior sobre o tema reuniu só 30 pessoas e ontem eram mais de 100. "É importante se observar que o que está em jogo nesse debate sobre a candidatura do partido para o governo do Estado nas próximas eleições não são as tendências, mas o futuro do partido; somos o patrimônio do PT e temos que ter posição bem clara sobre esse processo e avançar com o debate", afirmou Regina, antes de pedir ao deputado federal Cláudio Puty para dizer se se concorda ou não em ser pré-candidato próprio do partido. Em resposta, Puty agradeceu o convite e destacou que desde agosto do ano passado o seu nome está à disposição do PT como candidato próprio do partido ao governo do Estado. "Devemos nos preparar para os ataques que virão, mas eu reafirmo aqui a minha disposição de defender o nosso partido", afirmou.

"Precisamos resgatar a experiência vitoriosa do PT no governo do Estado, falar dos projetos sociais que foram desmontados pelo atual governo e mostrar que o PT tem condições de governar o Pará". Cláudio Puty destacou não ser contra a coligação do PT com o PMDB, "desde que o PMDB apoie a nossa candidatura". Ele disse que a candidatura própria no Estado não vai de encontro à proposta de reeleição de Dilma Rousseff e disse que em vários estados do País, PT e PMDB não estão juntos, como, por exemplo, São Paulo, Rio de Janeiro e Rio Grande do Sul.

Comentários

.

.