.

.
.

.

.

.

.

Troca de partido pode atingir 40% do Legislativo em Santarém

No Blog do jornalista Jeso Carneiro:



Chegou a hora. Aberta a chamada “janela eleitoral”, políticos de todo Brasil terão um mês para trocar de sigla sem cair na degola da infidelidade partidária.

O direito decorre de uma emenda à Constituição (PEC) que foi promulgada na última quinta-feira (18) pelo Congresso Nacional. O prazo se estende até o próximo dia 18 de março.

De olho nessa janela, muitos parlamentares santarenos almejam trocar de partido, visando as eleições de outubro deste ano.

O impacto da dança das cadeiras pode atingir 40% das cadeiras do Palácio Tapajós. Dos 21 vereadores, pelo menos 9 cogitam mudanças. Alguns expressam abertamente e outros preferem manter no sigilo a intenção. Vamos aos nomes e pretensas novas casas.

O veterano Emir Aguiar dá como certa sua saída do PR, mas ainda não sabe qual sigla deve ingressar. “Estou avaliando o cenário, mas pode colocar que vou mudar de partido”, disse Aguiar, que interessa ao PSB, PSC, PDT e PT.

Ronan Liberal Junior, que possui cadeira pelo PMDB, também cogita sua saída sem ainda direcionar o destino. Ele faz uma avaliação interna das possíveis candidaturas de seu atual partido. Ronan interessa ao PSB, PTdoB, PDT e PT.

Colega de partido, Junior Tapajós não pretende deixar o PMDB, mas recebe pressão familiar para se filiar ao PR, caso o quadro de candidaturas internas não seja favorável.

O vereador Silvio Neto poderá deixar o PSD se pegar a presidência de algum partido emergente. A direção local do PTB, inclusive, já reclamou de movimentações do deputado Junior Ferrari nesse sentido. Silvio Neto nega e diz que não existe essa possibilidade.

Silvio Amorim cogitou deixar o PRTB. Ele recebeu um convite para ingressar no PSC. A sigla ganhou força com o vice-governador Zequinha Marinho, muito amigo de Amorim. O PSB é outra legenda que agrada e namora o parlamentar.

Os dois vereadores do PP, Nicolau do Povo e Luiz Alberto, aguardam uma movimentação interna para decidir sobre a mudança de partido. Alberto é o que está mais perto da porta de saída. Os dois não revelaram seus possíveis destinos, mas dizem que observam o cenário para tomar a decisão até o dia 18 de março.
Geovani Aguiar chegou a anunciar a sua saída do PSC, mas até o momento permanece no partido. Siglas como o PTC e o PSDC seriam as novas casas de Aguiar. Os 15 anos de PSC de Geovani Aguiar seriam interrompidos pela chegada do atual presidente da Câmara Municipal de Santarém, Reginaldo Campos. No entanto, o presidente também faz avaliação de sua saída.

A movimentação partidária pode custar o mandato do vereador. Por isso, a cautela na hora de tomar a decisão que só chega após muitas articulações e avaliações de cenários políticos.

A criação do prazo para troca de partido faz parte da chamada Reforma Política. Antes, eram necessárias situações de “justa causa” para a troca.

– – – – – – – – – – – – – – – – –

*Alailson Muniz  É jornalista e blogueiro.

Comentários