.

.
.

Greve do Ibama vai atrasar leilão de usinas

Da Agência Brasil:

O ministro de Minas e Energia, Márcio Zimmermann, disse ontem (25) que a greve dos funcionários do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), que durou um mês e meio, vai atrasar o leilão (A-5) para contratação de energia elétrica proveniente de fonte hidráulica de geração, que estava marcado para o mês que vem. Segundo ele, o leilão só deverá acontecer no fim de julho ou em agosto.

Zimmermann informou que, das seis usinas que entrariam no leilão, duas não ainda não têm a licença prévia, que é concedida pelo Ibama. Juntas, as hidrelétricas vão somar 1,8 mil megawatts. Na manhã de hoje, a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) decidiu adiar a análise do edital do leilão, a pedido do ministério.

O ministro participou hoje da primeira reunião da subcomissão temporária para acompanhar a execução das obras da Usina de Belo Monte, vinculada à Comissão de Meio Ambiente do Senado. Ele disse que, para gerar a mesma quantidade de energia de Belo Monte com geração eólica em um país como a Espanha, por exemplo, seria preciso investir US$ 32 bilhões, com um subsídio anual de 25 euros por megawatt-hora gerado.

Na reunião, Zimmermann lembrou que Belo Monte está em uma área já habitada, com sérios problemas socioeconômicos. Segundo ele, as condicionantes ambientais e sociais impostas pelo Ibama vão “mudar a cara” da região.

Comentários

.

.