.

.
.

A Globo e a matança de botos

Um coisa é verdade: se alguém matasse cerca de 100 a 200 botos por mês em Alter do Chão, nós seríamos os primeiros a saber.

A matéria global sobre a matança exagerada de botos naquela região é mentirosa e exagerada.

Ao menos que haja uma caçada planejada e com uma mega-super-estrutura de apoio, como metralhadoras, granadas e arrastoões quilométricos, eu desafio qualquer pescador a tentar matar 200 botos com arco e flecha ou apenas um arpão nas mãos.

Eu mesmo quando moleque, pelas várzeas da vida, já tentei matar um "lepruso" desses, como dizem os nossos cabôcos (sem o éli mesmo), mas nunca conseguir. Tinha raiva deles porque roubavam os peixes de minhas malhadeiras e acabavam com elas. Mas os safados são ágeis e habilidosos, um alvo dificílimo.

Matar um boto é matar a Amazônia. Cresci brincando com eles, não fazem mal algum. Somos nós que invadimos o espaço deles e roubamos os seus alimentos.

Comentários

.

.