.

.
.

Nélio Aguiar defende descentralização do serviço de oncologia

O deputado Nélio Aguair (PMN) defendeu, nesta terça-feira, 5, durante horário de lideranças na Assembleia Legislativa do Estado do Pará (Alepa), a descentralização dos serviços de Oncologia para os municípios polos paraenses. O debate tomou conta do plenário por conta da denúncia, envolvendo o atendimento de pacientes  em serviço de quimioterapia no corredor do Hospital Ofir Loyola, referência no atendimento de pacientes portadores de câncer no Estado do Pará.
 O parlamentar disse que o Pará vem avançando no atendimento aos pacientes portadores de câncer, e o governo tem feito um trabalho no sentido da interiorização dos serviços de oncologia. “Na última década houve uma mudança muito grande no perfil epidemiológico do Pará. As pessoas ganharam longevidade e  a uma diminuição de doenças infecciosas, mas houve um aumento das doenças crônicas-degenerativas, então, é importante  que o estado esteja atento em avançar na implantação do serviço de oncologia, principalmente para os municípios onde já há hospitais regionais”, disse.

Nélio Aguiar lembrou ainda que anteriormente a situação era pior, pois os pacientes com câncer do Pará tinham de ir até outros estados para fazer o tratamento. “Hoje temos o serviço bem estruturado em Belém e também, os  pacientes de câncer em Santarém já contam com os serviços de radioterapia e quimioterapia. É um avanço, mas é preciso colocar o serviço em pleno funcionamento em todos os cinco hospitais reginais", disse o parlamentar, que também é médico.

Nélio Aguiar também lembrou que o governo do Estado deve inaugurar, ainda este mês, 34 novos leitos no Ofir Loyola, em Belém. “O espaço passou nos últimos meses por reformas que permitiu a revitalização e a modernização de toda a infraestrutura hospitalar, que passará a atenderá a partir de agora, com mais qualidade, os pacientes em tratamento oncológico ”, disse.

Com os novos 34 leitos, o hospital oferecerá no total 164 espaços de internação para os pacientes da oncologia.

(Fonte: Ascom/Kátia Aguiar)

Comentários

.

.