.

.
.

.

.

.

.

Mais de 2.400 quelônios à natureza

A comunidade Santa Terezinha, em Juruti, renovou seu compromisso como parceira da natureza. Ao todo, 2.423 filhotes de tracajás foram devolvidos ao seu habitat natural, em uma ação que faz parte do Programa Quelônios da Amazônia, que busca a conservação das populações da espécie, muito visada para o próprio consumo das comunidades. A iniciativa, junto com a Educação Ambiental Permanente, as Tecnologias de Sustentabilidade e o Projeto Clubinho da Tartaruga, compõe o Programa de Manejo Integrado de Quelônios (PMIQ), desenvolvido pelo Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e Recursos Naturais Renováveis (Ibama) e pela Fundação de Tecnologia e Geoprocessamento (Funtec), em parceria com a comunidade, a Prefeitura de Juruti e a Alcoa. A Comunidade Santa Terezinha é uma das 26 comunidades engajadas no manejo e conservação de quelônios no município nesta parceria.

Os filhotes de tracajá, ao lado de pitiús e peremas, foram soltos à beira do lago das Piranhas. Na ocasião, crianças e jovens da escola local apresentaram um número musical para lembrar a todos sobre a importância de estabelecer uma relação de equilíbrio com a natureza.

Funcionários da Alcoa e seus familiares também participaram do evento e tiveram oportunidade de trocar experiências com as famílias locais sobre boas práticas de conservação ambiental. Raimundo Fonseca, programador de manutenção da Companhia, já acompanhou outras solturas e sempre faz questão de interagir e conhecer de perto o trabalho desenvolvido nas comunidades de Juruti. Para Raimundo, a participação da empresa como parceira do programa serve de exemplo não só para os seus colaboradores, mas também para outras instituições. "A Alcoa apoia projetos que visam o engrandecimento de todas as comunidades, fortalecendo-as cada vez mais, para que todas possam ser autossustentáveis", avalia Fonseca.

Foi a primeira vez que a engenheira ambiental Erika Pinheiro participou de uma ação semelhante no município. Há oito meses vivendo em Juruti, ela também se sensibilizou e pretende participar de mais atividades em prol do meio ambiente. "É gratificante trabalhar em uma empresa envolvida neste tipo de projeto. Apoiar incrementa e dá incentivo para a continuidade dessas ações. É emocionante participar de uma ação bonita como esta, tão importante para o ecossistema amazônico", conta a engenheira da Alcoa.

Quem acompanha o projeto desde o princípio se orgulha com os resultados do trabalho, conduzido pelas famílias locais sob a orientação técnica do Ibama. "É um projeto bom, que vem conscientizando a comunidade, mostrando que é importante preservar para não destruir tudo o que a natureza nos deixou de tão precioso. Ver hoje os resultados é uma grande satisfação, é um prazer fazer parte disso", conta Manoel Sebastião, coordenador da comunidade Santa Terezinha, um dos precursores da ação no município.

"O Programa Quelônios da Amazônia sem dúvida está sintonizado com os cuidados que a Alcoa dedica às questões ambientais. A soltura dos filhotes na natureza concretiza um processo que envolve desde o treinamento sobre tecnologias de manejo, até ações efetivas de educação ambiental. Neste cenário, acompanhar o engajamento dos funcionários junto às comunidade nos faz acreditar na força desta parceria e no real valor deste programa de conscientização e preservação.”, finaliza Juana Galvão, gerente de Sustentabilidade e Assuntos Institucionais da Alcoa Juruti.

Comentários