.

.
.

.

.

.

.

Setor industrial investe no potencial da mão de obra jovem

Dar os primeiros passos na vida profissional. Esse é um cenário no mínimo desafiador para muitos jovens que seguem na corrida pelo primeiro emprego. Mas as indústrias instaladas no interior paraense podem ser uma boa oportunidade para ingressar no tão sonhado mercado de trabalho. A busca pela atração, desenvolvimento e retenção de talentos é uma das prioridades da Alcoa, que atua com uma unidade de mineração de bauxita em Juruti, no oeste do Estado. A empresa aposta no potencial da mão de obra jovem e investe na formação dos profissionais que estão começando a carreira. Um dos exemplos é o programa Novos Engenheiros, que capacita esses jovens para a carreira técnica. O programa, criado pela Companhia em 2011, tem 12 meses de duração e é realizado em diferentes localidades onde a Alcoa atua.

“Desenvolvemos um escopo abrangente de atividades, que inclui treinamentos técnicos, aprendizagem de metodologias de produção, além de um programa de mentoring, a fim de impulsionar o aprendizado de quem está começando por meio do apoio de mentores dentro da área de atuação”, explica Rogério Ribas, gerente de Recursos Humanos da Alcoa Juruti. “Para estimular a inovação e a criação de projetos de relevância para a Companhia, também promovemos anualmente uma premiação interna que reconhece ações de destaque idealizadas pelos nossos Novos Engenheiros”, completa.

Com quase cinco anos de operações, a unidade da Alcoa em Juruti possui um alto índice de paraenses em seu efetivo: cerca de 75% dos funcionários têm origem no Pará. E boa parte é de mão de obra jovem, aproximadamente 20% dos funcionários em seu quadro têm idades entre 19 e 30 anos. O engenheiro civil Juanerson Cunha, que nasceu em Santarém, se formou no final de 2012 e hoje trabalha na área de Porto e Ferrovia da Alcoa Juruti. Para ele, conquistar esta oportunidade em uma multinacional é um desafio único. “Ter essa chance na Alcoa me deixou muito entusiasmado, pois trabalho diretamente com profissionais veteranos que são muito generosos na troca de experiências. Poder aprender a cada dia e também contribuir com o trabalho é motivador. Hoje, quero estar preparado para crescer profissionalmente e, para isso, a busca por mais qualificação é o meu próximo passo”, planeja o jovem engenheiro.

Além do programa Novos Engenheiros, a Companhia possui o programa Jovem Aprendiz,  parcerias com instituições de referência como o SENAI e a Universidade Federal do Oeste do Pará (Ufopa) e busca novos talentos todos os anos em seu Programa de Estágio. Por estas iniciativas voltadas para a valorização da mão de obra jovem, no ano passado a Alcoa foi reconhecida pela décima segunda vez como uma das Melhores Empresas para Trabalhar, pelo Instituto Great Place to Work. Também foi considerada pela revista Você S/A como uma das Melhores Empresas para Começar a Carreira.

Jovens lideranças - Com um quadro formado pela maioria jovem, até 30 anos, a Alubar, localizada em Barcarena, acredita no potencial da mão de obra dessa nova geração. "Os jovens somam 50% do quadro da Alubar e tem, em média, de dois a cinco anos de empresa. Então acreditamos que eles são o nosso futuro, pois conseguimos moldá-los de acordo com os nossos valores", afirma a gerente de gestão de pessoas da Alubar, Ana Carolina Jacob Santos. A fabricante de vergalhões e cabos elétricos de alumínio incentiva os colaboradores à educação,  disponibilizando benefícios voltados para cursos técnicos,  graduação,  pós-graduação e inglês.


As perspectivas na empresa são grandes para quem deseja trilhar uma carreira de sucesso e a inspiração vem das lideranças. O gerente da Produção Cabos, André Kishi, tem 33 anos e começou como estagiário, em uma parceria firmada entre a Alubar e a Universidade Federal do Pará (UFPA). Após dois anos de aprendizado como estudante, ele foi contratado pela empresa, onde está há 10 anos. “A Alubar tem esse perfil de investir nas pessoas da casa, então já vislumbrava grandes oportunidades quando entrei aqui. Hoje, como líder, tenho obrigação de ser uma referência, formar opinião e me preocupo em ser um bom exemplo”, afirma o gerente.

Juliana Gato
Temple Comunicação

Comentários